28 março 2006

Romeu e Julieta contemporâneo

Este é mais um texto cuja autoria foi esclarecida. A autora é Francine Bitencourt de Oliveira, que tem uma série de textos sobre Romeu e Julieta, que devem ser reunido em livro em breve.

de: ‹Francine Bitencourt de Oliveira›
atribuído a: ‹Luis Fernando Verissimo›

Sabem porque Romeu e Julieta são ícones do amor? São falados e lembrados, atravessaram os séculos incólumes no tempo, se instalando no mundo de hoje como casal modelo de amor eterno?

Porque morreram e não tiveram tempo de passar pelas adversidades que os relacionamentos estão sujeitos pela vida afora. Senão provavelmente Romeu estaria hoje com a Manoela e Julieta com o Ricardão.

Romeu nunca traiu a Julieta numa balada com uma loira linda e siliconada motivado pelo impulso do álcool.

Julieta nunca ficou 5 horas seguidas esperando Romeu, fumando um cigarro atrás do outro, ligando incessantemente para o celular dele que estava desligado.

Romeu não disse para Julieta que a amava, que ela especial e depois sumiu por semanas. Julieta não teve a oportunidade de mostrar para ele o quanto ficava insuportável na TPM. Romeu não saia sexta feira a noite para jogar futebol com os amigos e só voltava as 6:00h da manhã bêbado

Julieta não teve filhos, engordou, ficou cheia de estrias e celulite e histérica com muita coisa para fazer.

Romeu não disse para Julieta que precisava de um tempo, que estava confuso, querendo na verdade curtir a vida e que ainda era muito novo para se envolver definitivamente com alguém.

Julieta não tinha um ex-namorado em quem ela sempre pensava ficando por horas distante, deixando Romeu com a pulga atrás da orelha.

Romeu nunca deixou de mandar flores para Julieta no dia dos namorados alegando estar sem dinheiro.

Julieta nunca tomou um porre fenomenal e num momento de descontrole bateu na cara do Romeu no meio de um bar lotado.

Romeu nunca duvidou da virgindade da Julieta. Julieta nunca ficou com o melhor amigo de Romeu.

Romeu nunca foi numa despedida de solteiro com os amigos num prostíbulo.

Julieta nunca teve uma crise de ciúme achando que Romeu estava dando mole para uma amiga dela.

Romeu nunca disse para Julieta que na verdade só queria sexo e não um relacionamento sério, ela deve ter confundido as coisas.

Julieta nunca cortou dois dedos de cabelo e depois teve uma crise porque Romeu não percebeu a mudança.

Romeu não tinha uma ex- mulher que infernizava a vida da Julieta.

Julieta nunca disse que estava com dor de cabeça e virou para o lado e dormiu.

Romeu nunca chegou para buscar a Julieta com uma camisa xadrez horrível de manga curta e um sapato para lá de ultrapassado, deixando- a sem saber onde enfiar a cara de vergonha...

Por essas e por outras que eles morreram se amando...

11 Comments:

Anonymous Anônimo disse...

Eu adorei esse texto...eu li e soube que era uma fraude ser de luis fernando verissimo...só uma autora mulher teria o geito para escrever um texto ótimo desse, li e ri muito pois mostra o cotidiano de muitas pessoas

4:02 PM  
Anonymous Francine disse...

Oi Cora,

Estou escrevendo para dar os Parabéns pelo livro " Caiu na rede"
Sou a autora de Romeu e Julieta Contemporâneo, achei a sua idéia excelente já que este é um assunto chato e recorrente.
Duas coisas me deixaram um pouco chateada, a primeira foi meu texto ter entrado como autor desconhecido , já que esta devidamente registrado há dois anos e só o nome do Verissimo é que sempre aparece... rs mas tudo bem estou acostumada, vou torcer para sair a próxima edição e com isso a editora altera.
A outra é " textos falsos" no título, passa a impressão que os autores desconhecidos copiaram os grandes autores, o que no meu caso e acredito que no da maioria tbm não é verdade rs
Mas escrevi mesmo para parabenizar a sua iniciativa, no geral o livro ficou ótimo.
Penso em escrever uma sequência dos Romeus e Julietas , estar no livro jé foi um começo.

Obrigada
Abraços
Francine Bittencourt de Oliveira

6:28 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Não parece ser um fenômeno brasileiro apenas:

http://german.about.com/library/blgermyth12.htm

11:25 AM  
Anonymous Maitê disse...

Existe perdão para a falsidade,
para os enganos comuns da humanidade,
para as dificuldades em quitar os compromissos,
nas pequenas mentiras que apagam "incêndios",
existe perdão até para os que cometem delitos diversos,
mas, é imperdoável desistir da própria vida,
dos sonhos que alimentam a trajetória do homem.
Desista de tudo, de lutar pelo filho que não quer mudar,
da filha que decidiu abandonar a casa em tom de rebeldia,
do "amor da sua vida" que quer "mais liberdade",
do emprego que te suga até a alma,
da escola que só não é mais chata por falta de vagas,
do sonho de cantar na Broadway.
Que se danem os vizinhos "malas",
os parentes fofoqueiros,
os chatos de plantão,
o que importa é que entre mortos e feridos,
você está salvo!
A vida abre portas novas a cada dia,
para a esquerda, para a direita,
é uma festa de oportunidades para quem tem olhos para ver,
abra os seus, mude o disco, mude a roupa, o estilo,
o penteado, a cor dos sapatos, ande descalço...
só não desista de você, é imperdoável perdemos alguém tão especial,
tão essencial, como você.

O que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo".

(Clarice Lispector)

Cora, esse texto é da Clarice, mesmo?

Abs

3:25 PM  
Blogger Mari Ceratti disse...

Maitê, a Clarice nunca escreveu poemas... (desculpe a intromissão, mas é que essa informação está no livro da Cora!!)
Beijos, Mari

4:56 PM  
Anonymous Ana Lasevicius disse...

Cora, parabéns pelo novo livro. O Professor Gabriel Perissé fez uma resenha crítica sobre ele, no Observatório da Imprensa:

http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=376AZL002

Att.,

Ana Lasevicius

---------------------

5:27 PM  
Blogger Michel disse...

A tira dos malvados era essa:
http://www.malvados.com.br/tirinha568.gif

3:12 PM  
Blogger André Gondim disse...

hahahaha excelente análise.

Muito bom, realmente se não tivessem morrido não teria sido "perfeito".

[]´s

1:14 AM  
Anonymous Rafael Netto disse...

Parabéns pelo livro! Acabei de adiquiri-lo!

Eu reparei uma coisa, tem um texto, "Pra Cumemuié", atribuído a "autor desconhecido" que na verdade é de Mário Prata. Está inclusive no site oficial do escritor: http://www.marioprataonline.com.br/obra/cronicas/pra_cumemuie.htm

Só que a versão que circula na internet (e publicada no livro) tem um adendo, uma listinha de "coisas interessantes sobre as mulheres".

9:51 AM  
Anonymous Luciana Rocha Vidal disse...

Ei Cora!
Vi sobre seu livro no Estado de Minas e achei uma ótima idéia!
Vou até falar sobre ele no blog que eu e meus colegas estamos fazendo para um trabalho da faculdade ( faço Comunicação Social na UFMG). O blog é sobre legislação da comunicação e a minha parte sobre direitos autorais.Depois se vc quiser, passa lá: www.issopode.blogspot.com;
Parabéns e obrigada pela ajuda no meu trabalho!

10:38 AM  
Blogger . disse...

tem toda a razão :)

3:18 PM  

Postar um comentário

<< Home